Teatro de Torneado é uma Trupe de artistas concebida por William Costa Lima em 2005, a partir de um projeto de oficinas teatrais que se iniciou uma escola particular da zona sul de São Paulo. Desde então, a Trupe tem construído uma trajetória de caráter itinerante, circulado por diversas áreas públicas e privadas, centrais e periféricas da cidade de São Paulo e de sua zona metropolitana, criando uma rede de artistas e parcerias que colaboram com a consolidação da Trupe.

 

Para a Trupe, a fábula é o fio condutor capaz de aproximar os espetáculos do público, criando um caráter de verosimilhança. Desse encontro surge um espaço fértil poeticamente para reflexões sobre o cotidiano dos espectadores. Para alcançar este objetivo, cada artista é um pesquisador que possui uma construção singular, sendo torneada ao longo do tempo, seja através de suas experiências profissionais e formativas, das linguagens que os constituem como artistas, ou através de seus ritos pessoais como cidadãos. Desde então, duas pesquisas tem sistematizado os meios produtivos da Trupe: A Dramaturgia dos Moleques (2008-2014), que reflete sobre os imaginários individuais e como eles se conversam no coletivo,  e os Colapsos Institucionais (2015-2020), investigando o papel moldatório das instituições.

 

Como produtos artísticos, a Trupe possui nove espetáculos: Menina de Louça (2006), Primavera (2008), Dias de Campo Belo (2009), Refugo (2009) – texto de Abi Morgan, O Girador (2012), Peter em Fúria (2014), Celofane (2015), Palpitação (2016) e Do Ensaio para o Baile (2017). A Trupe tem recebido diversas premiações e contemplações de editais por seus espetáculos, dentre elas os espetáculos O Girador e Peter em Fúria, sendo indicada também para o Prêmio Shell de Teatro 2015 na categoria Inovação pelo processo de integração, orientação e experimentação na formação de jovens na linguagem teatral através do exercício crítico de cidadania, com o deslocamento e compartilhamento dos resultados de trabalho do coletivo em diferentes espaços de São Paulo.

 

Desde 2005, além dos espetáculos de repertório, foram criados diversos exercícios cênicos, resultados das oficinas teatrais que marcaram a trajetória da Trupe na cidade de São Paulo e, desde 2017, estão sistematizados na Escola Atemporal de Artes, projeto criado a partir da consolidação de mais de uma década de experimentações em arte-educação através do teatro por todo território paulistano e metropolitano. Aqui, os artistas da Trupe, agora nos papéis de Orientadores e Oficineiros, conduzem processos pedagógicos para a formação de artistas profissionais e conscientes de seu papel na sociedade.

Copyright © 2019 Sítio Cultural Alsacia Todos os direitos reservados.